0

Líder: fez uma contratação errada? Saiba o que fazer

Contratou um profissional e percebeu que não era o perfil adequado? A coordenadora de Recursos Humanos da Quality Training RH, Danielle Filizola, explicou como a empresa e o RH da mesma devem proceder em situações como essa.

SÃO PAULO – A busca por um profissional para integrar a equipe muitas vezes é cansativa e trabalhosa. O gestor, em parceria com o departamento de RH (Recursos Humanos) da empresa, avalia os currículos, realiza entrevistas, analisa os históricos profissionais e os resultados dos testes psicológicos.

Após todo este processo, um profissional é escolhido e a contratação é feita. Entretanto, após um período, o gestor chega à conclusão que esta não era a pessoa ideal.

Para a coordenadora de Recursos Humanos da Quality Training RH, Danielle Filizola, o líder percebe que fez uma contratação errada no primeiro mês. “Em 30 dias, o gestor percebe que a contratação não foi bem sucedida”, ressalta.

Segundo a especialista, é fundamental que neste período ele dê feedbacks das atividades desenvolvidas ao recém-chegado e o oriente para que ele desempenhe seu trabalho da melhor maneira. O líder deve aproveitar o contrato de experiência para agir. Vale lembrar que o documento vale por 45 dias, podendo ser renovado por mais 45 dias.

Retorno negativo

Se durante este período o funcionário não apresentou melhora e deixou a desejar, o líder deve procurar alternativas. De acordo com Danielle, a primeira é inserir o profissional em um programa de treinamento intensivo. Nesta situação, a empresa investe no potencial do profissional.

A segunda opção é tentar um remanejamento dentro da própria empresa. Muitas vezes o profissional pode se adequar melhor em outro departamento e atividade. Em último caso, o gestor deve optar pela demissão do profissional.

Sobre a demissão, a diretora-executiva da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Izabel de Almeida, explica que a questão é mais delicada especialmente se o profissional estava trabalhando e foi assediado pela empresa do gestor para mudar de emprego.

“Não é porque o profissional trabalhou no concorrente ou na empresa líder do segmento que ele se encaixará na outra empresa. Se a empresa o contratou e não deu certo, é importante que ela ofereça um serviço de outplacement”. O serviço de outplacement é uma consultoria de transição, em outras palavras, auxilia o profissional na recolocação profissional.

Como evitar

A palavra-chave para evitar que contratações erradas aconteçam é planejamento, ou seja, o processo seletivo deve ser muito bem feito, considerando especialmente as competências comportamentais do profissional. “As empresas avaliam o candidato tecnicamente, mas não cruzam estes dados com o perfil comportamental. O comportamento é decisivo nas demissões”, diz Izabel.

Além disso, o gestor deve analisar o seu próprio perfil, para saber se terá afinidade com o colaborador. Somado à isso, o líder deve ter clareza do tipo de profissional que melhor se encaixará na vaga e se a oportunidade oferecida é compatível à realidade do mercado.

Por fim, Danielle aconselha que o gestor busque o máximo de informações dos candidatos, especialmente nas empresas em que eles já trabalharam.

Publicado no Portal InfoMoney, no dia 29 de setembro.

  • Categorias: Recursos Humanos
  • 0

    Plano de Carreira – Vale mais investir em curso de pós-graduação ou no inglês?

    Se você deseja melhorar seu posicionamento no mercado de trabalho, é preciso investir em sua formação profissional. Cursos de especialização como os MBA’s, por exemplo, e domínio de línguas estrangeiras são fundamentais para alavancar a sua carreira. Entretanto, vale lembrar que é necessário investimento financeiro, tempo disponível e bastante dedicação.

    Caso seja inviável financeiramente e não haja tempo disponível para os dois cursos – o de línguas e a especialização – é preciso ter foco e saber qual deles gera maior retorno em menos tempo e melhora suas chances de recolocação profissional.

    O inglês fluente é o maior diferencial em seu currículo profissional. É o idioma dos grandes negócios, permite acesso ao mundo global. A empresa tem maior adesão por candidatos com o idioma fluente que por profissionais pós-graduados fora da sua área de atuação.  É comum os recrutadores eliminarem executivos muito bem qualificados, porque não atendiam o critério do idioma.

    A globalização exige que os profissionais, sobretudo da área comercial, tenham o domínio dessa língua, útil para se relacionar com clientes, negociantes e outros parceiros. A fluência da língua também é garantia de um salário mais competitivo.

    Em relação ao plano de carreira, saber inglês faz com que o profissional dispute cargos em empresas multinacionais e até mesmo em outros países, ou possa investir em uma especialização no exterior.

  • Categorias: Carreira
  • 0

    Como elaborar um currículo? Excessos podem prejudicar a recolocação profissional

    O currículo é a sua porta de entrada no mercado de trabalho. Quanto melhor elaborado, maiores também serão as suas chances de recolocação profissional. Ele deve ser legível, compreensível e pesquisável. Deixe claro o que você deseja profissionalmente.

    Para melhorar a sua efetividade em um processo de seleção de vagas de emprego é importante que algumas características sejam observadas.

    – Procure se informar sobre a empresa para a qual você vai encaminhar o seu currículo. Destaque as características mais adequadas ao perfil desejado por ela.

    – As informações de contato são essenciais e devem vir no topo da página. Não seja muito extenso, forneça apenas o seu nome completo, endereço de email e telefone. Documentos pessoais são dispensáveis.

    – Se você está em busca de duas vagas diferentes, faça um currículo diferente para cada uma delas, focando suas experiências para cada cargo.

    – Seja seletivo. O recrutador recebe vários currículos e, dificilmente, vai se interessar pelo lugar onde você fez o ensino básico. Portanto, indique apenas onde cursou a graduação, as especializações e os cursos adicionais. Se você tem o conhecimento de alguma língua estrangeira, não deixe de destacar em seu currículo, pois este é um diferencial.

    – Indique somente as últimas experiências profissionais ou aquelas de maior relevância em sua carreira.

    – Por fim: revise! Erros de ortografia e gramática são critérios de eliminação de candidatos

    É importante fazer também um resumo profissional. Geralmente ele é o primeiro contato que o recrutador terá com você. É preciso caprichar no texto e ser sucinto.

  • Categorias: Carreira