0

InfoMoney entrevista a coordenadora de RH da Quality, Danielle Filizola

“Líder: conheça os 3 principais erros ao dar feedback”

SÃO PAULO – Faz parte das atividades do líder dar feedback aos seus colaboradores. Ao apontar quais pontos o funcionário está acertando e quais devem ser melhorados, o gestor, além de acompanhar o andamento das tarefas, ajuda o profissional a crescer em sua carreira.

Na teoria tudo parece fácil, mas na prática nem sempre é assim. Pensando nisso, o Portal InfoMoney conversou com a coordenadora de RH (Recursos Humanos) da Quality Training, Danielle Filizola, que apontou os três erros comuns aos líderes ao dar feedback ao seus profissionais.

O primeiro erro é dar o feedback na frente de outras pessoas. Se o feedback for negativo, a situação é considerada antiética. Por isso, lembre-se de reservar uma sala, ao chamar alguém para conversar.

“O feedback tem a função de melhoria. Se for na frente dos colegas, ele pode constranger, perdendo a sua finalidade. O feedback é para tornar a relação transparente”, alerta a especialista.

Prazo de validade
O segundo erro tem a ver com o tempo que o líder demora para conversar com o profissional. Se o tempo de uma conversa para outra for muito longa, o feedback pode não servir mais. Isso porque o feedback deve ser relacionado às atividades recentes do profissional.

Para Danielle, o ideial é que feedback ocorra diariamente, mas, com a correria do cotidiano, fica difícil conversar com todos da equipe em um único dia; por isso, ela recomenda que a conversa aconteça a cada dois meses ou uma vez a cada três meses. “Neste período de tempo, é possível realinhar prazos e metas, se for necessário”.

Saber separar o profissional do pessoal
O último erro comum aos gestores é dar feedback de assuntos que não cabem ao ambiente de trabalho. A conversa do gestor deve ser baseada somente na vida profissional do funcionário, por isso, nada de comentários da vida pessoal.

Além disso, o feedback deve ser isento de julgamento de valores, ou seja, o gestor deve apenas citar quais atitudes do profissional foram consideradas erradas, mas sem adjetivos.

(publicado originalmente na InfoMoney Carreiras , 24/02/2012)

  • Categorias: Carreira, Contratação, Entrevista de Emprego, Mercado, Mercado de Trabalho, Quality Training RH, Recursos Humanos
  • 0

    O que dizer sobre a empresa contratante na hora da entrevista?

    Algumas recomendações são bem valiosas na hora de falar sobre a empresa na qual se tem interesse durante uma entrevista. O bom e velho “admiro muito a empresa e quero fazer parte da equipe” já não cumpre o seu papel e soa vazio e previsível para o entrevistador. Nunca se deve exagerar nos elogios à marca ou aos produtos e serviços.

    Para se sair bem, a sinceridade é sempre o mais indicado. Além disso, os principais objetivos dos recrutadores estão relacionados à percepção que o candidato tem da empresa, bem como às suas expectativas lá dentro.

    Confira:

    1- Pesquise

    Um dos pontos essenciais de um processo de seleção é avaliar se o candidato tem conhecimento sobre o cargo pretendido, a empresa, seus valores, concorrentes e posição atual no mercado. Por isso, a pesquisa dessas informações deve ser bem feita para conquistar bons resultados durante a entrevista.

    2-Alinhe seus valores com os da empresa

    O candidato deve ter autoconhecimento para saber se os seus objetivos e anseios profissionais podem ser conquistados na empresa em questão, pois caso contrário, não fará sentido algum dar prosseguimento à entrevista.

    3- Seja sincero

    Quando a pergunta for relacionada a salário, à disponibilidade em trabalhar aos finais de semana, mudar de cidade, etc, a melhor forma de responder é sendo fiel às suas possibilidades e expectativas. A sinceridade sempre é o caminho mais correto. Entretanto, afirmar que pretende ser o presidente da empresa em menos de 5 anos, pode exemplo, pode parecer demais aos olhos do entrevistador. É preciso dosar para não haver complicações depois.

    4- Evite exageros

    É preciso evitar situações de elogios exacerbados à empresa, produtos e serviços, ou críticas ferozes à concorrência. Além de parecer superficial e forçado, não passam a ideia de que você realmente está preocupado em falar a verdade, mas sim em impactar o entrevistador, o que não é legal e pode prejudicar o processo. Seja espontâneo e pontue de forma simples e transparente o que considerar válido.

  • Categorias: Carreira, Contratação, Dinheiro, Entrevista de Emprego, Mercado de Trabalho
  • 0

    Para não se comprometer no trabalho com prazos apertados antes do carnaval, confira importantes dicas!

    Muita gente se sente ansiosa com a chegada do carnaval, principalmente quando há viagem envolvida nos planos. E o que fazer com o volume de trabalho que não para de aumentar? Uma das dicas é manter a concentração em alta, principalmente durante situações em que a mente está “sonhando” com o feriado prolongado.

    Um profissional concentrado mostra eficiência em suas ações e tem menos chances de cometer deslizes pela falta de atenção. Dessa forma, os resultados são gerados em tempo hábil e com qualidade. Veja só!

    – Faça intervalos

    É muito importante que a gestão do tempo seja feita de forma adequada, levando em consideração alguns fatores, como, por exemplo, o nível de ansiedade e agitação da pessoa. Se o caso for esse, é recomendável que haja intervalos de cinco a dez minutos a cada hora de trabalho. Assim não se perde o foco e as tarefas poderão ser realizadas de forma mais objetiva na volta.

    -Crie filtros

    Alguns desvios de atenção são decorrentes do fluxo contínuo de estímulos internos (pensamentos e lembranças). Dessa forma, com a mente repleta de assuntos fora do âmbito de trabalho, é altamente recomendável que você crie filtros para dar conta de realizar as tarefas com êxito.  Uma das dicas é fechar o email e algumas páginas de entretenimento (como redes sociais), além de deixar o celular mais afastado para não correr o risco de ficar procurando atualizações a cada cinco minutos. Isso favorece, e muito, a concentração e, consequentemente, os resultados!

    – Planeje menos

    O ideal é que os planejamentos sejam realizados considerando-se três dias “seguintes”. Entretanto, para aqueles profissionais que ficam ansiosos porque terão que trabalhar no carnaval, o ideal é planejar menos. Isso mesmo! Quanto menos o profissional se sentir pressionado a montar planos, menores serão os riscos de estresse e frustrações. É importante identificar o que pode ser feito antes do feriado e organizar o planejamento para a outra semana, sem acumulações.

    -Faça uma tarefa de cada vez

    Quanto mais atividades o profissional tentar realizar ao mesmo tempo, as chances de estresse e de apresentar resultados “pela metade” aumentam. O foco em cada tarefa é essencial para otimizar o tempo e concluir o que for necessário. Lembre-se: trabalhe sem desespero e fuja da desorganização!

    Por fim, não deixe que as pendências te atrapalhem neste feriado. Aproveite esses dias com tranqüilidade e retorne à rotina com êxito!

  • Categorias: Carreira, Mercado
  • 0

    Essa é a hora de planejar a sua carreira!

    Daqui a alguns dias o mês de fevereiro termina, mas existem pessoas que ainda tentam cumprir promessas do início do ano, como fazer dieta, frequentar academia e traçar a carreira profissional. É muito importante estabelecer metas, mas o principal mesmo é tirá-las do papel para alcançar o sucesso almejado. Para isso, listamos 5 dicas importantes para quem quer melhorar a carreira!

    – Crie metas

    Pegue um caderno e pontue os objetivos que pretende alcançar em seis meses, um ano e cinco anos. Não se esqueça de escrever as condições e os processos através dos quais alcançará os objetivos.

    – Atualização profissional

    Sempre invista em você, nunca deixe de se atualizar com cursos de pós-graduação (e outros relacionados), novas leituras sobre a carreira e notícias sobre o mercado. Atualmente, conhecimentos em informática e em redes sociais são obrigatórios em alguns cargos. Workshops e palestras, em geral, contribuem muito para qualificar o profissional na hora de uma promoção ou de uma nova colocação. Fique sempre atento!

    – Outras línguas

    Hoje em dia, principalmente com a aproximação da Copa do Mundo e das Olimpíadas, estudar outras línguas é necessário em todos os campos de trabalho. Comece a se preparar o quanto antes, pois o mercado pede!

    – Networking

    Mantenha sempre contato com diferentes profissionais, uma das principais ferramentas que contribuem para a localização de melhores oportunidades, além de possibilitar atualizações constantes sobre o mercado. Crie também contas / perfis em redes sociais voltadas para profissionais e mercado, em geral, pois isso pode trazer bons resultados para sua carreira.

    – Mercado e desafios

    Prepare-se para novas experiências e desafios. O mercado atual exige cada vez mais do profissional e, para que aconteçam mudanças, ele precisa estar bem preparado e em dia com as tendências de sua área.

    E o mais importante: não tenha medo de arriscar!

  • Categorias: Carreira, Mercado, Mercado de Trabalho, Profissional
  • 0

    5 Dicas para saber o que os recrutadores gostam de ouvir em uma entrevista

    De nada adianta um currículo qualificado e com ótimas referências se na hora da entrevista com o recrutador o candidato se complica e não consegue provar se tem as competências técnicas para preencher a vaga. Em meio ao nervosismo e à insegurança, muitos não conseguem transmitir o que realmente precisam e, por isso mesmo, acabam se complicando.

    Para fugir dessa situação, confira 5 dicas para realizar uma entrevista boa o suficiente para conquistar a tão sonhada oportunidade de emprego!

    1- A verdade

    Por mais que seja um pouco óbvio, muita gente ainda escorrega neste ponto e acaba contando mentira durante a entrevista de emprego. Não são necessárias histórias épicas e completamente inacreditáveis. Quando isso acontecer, pronto, lá se foi um dos aspectos que os recrutadores mais valorizam: a verdade. Outro indicador de problemas é quando se usa um tom mais exagerado ao mostrar resultados, passando a assumir uma postura que não transmite quem você realmente é. Opte sempre pelo caminho simples e transparente.

    2- Resultados

    Ao falar da experiência profissional e descrever as responsabilidades, muitas vezes o candidato se esquece de mencionar um aspecto importantíssimo: os resultados alcançados. Por isso mesmo, se possível, deve-se ressaltar todos os benefícios que você proporcionou à (s) empresa (s) durante o período trabalhado.

    3- Pistas que mostram consciência sobre si mesmo

    É muito importante demonstrar firmeza nas respostas dadas para o recrutador, passando confiança e deixando claro que você tem consciência de quem realmente é. Além de saber dos pontos que precisa melhorar, é altamente recomendável que você foque também no que está fazendo para conseguir isso, ou seja, no caminho pelo qual está trilhando com empenho e dedicação.

    4. Fatos e dados que comprovem seu diferencial

    Depois de algum tempo de entrevista, chegou a hora de você finalmente provar por A mais B que é o melhor candidato. O mais importante nesse momento é focar nos aspectos que tornam você um profissional único, se destacando dos demais. É preciso colocar em cena de forma sutil todos os valores que  o tornam atrativo para a empresa, afinal de contas, muitas vezes as pessoas são contratadas pela competência, mas são demitidas pelo comportamento que apresentam. Reconheça o seu diferencial e tente mostrá-lo com segurança e coerência.

    5. Paixão

    Por fim, a expressão corporal do candidato diz muito na hora da entrevista, desde o jeito como fala e gesticula até o brilho nos olhos, que demonstra engajamento naquilo que faz. Toda essa emoção vale preciosos pontos, e isso é extremamente positivo para gerar efeito e conquistar o recrutador. Lembre-se de que o único passo para demonstrar a paixão pelo que faz é ser você mesmo, sem ressalvas.

    Boa sorte!

  • Categorias: Carreira, Contratação, Mercado de Trabalho, Recursos Humanos
  • 0

    Que tal 6 opções de carreiras para profissionais acima dos 40 anos de idade?

    Há espaço no mercado de trabalho para os mais experientes, mas a atualização deve ser constante

    A necessidade de mão de obra experiente tem aumentado cada dia mais. Para muitos especialistas, chegar aos 40 anos é uma chance de se reinventar e, para tanto, algumas insatisfações profissionais e pessoais precisam ser resolvidas! Por isso mesmo, antes de mudar de profissão, é altamente recomendável fazer uma avaliação completa para verificar o que você realmente gosta e quais são as suas possibilidades de recolocação no mercado.

    Tudo isso é claro, com muito empenho e dedicação. Confira então 6 opções de carreiras para os profissionais que querem dar uma virada na carreira!

    • Chef

    Se você gosta de cozinhar aos finais de semana e pretende um dia se tornar chef de cozinha de um hotel ou restaurante, saiba que é preciso muita dedicação e investimento em cursos. Há opções de cursos profissionalizantes, de graduação ou mesmo em renomadas escolas, como a francesa Le Cordon Bleu em Paris.

    • Consultor Financeiro

    Tem experiência na área financeira? Com visão estratégica e conhecimentos amplos em administração de investimentos, seguros e planejamento financeiro, o profissional pode se tornar um consultor. Um dos objetivos é o de assessorar financeiramente o cliente, seja de forma autônoma ou como empregado.

    • Personal Trainer

    Bem estar e saúde podem ser alcançados com regulares exercícios físicos. Vislumbrar uma profissão de Personal Trainer pode ser vantajoso para quem gosta de freqüentar academia e é adepto a exercícios físicos, em geral. Para atuar no mercado é preciso ter graduação no curso de Educação Física.

    • Coach

    Para se tornar Coach, o executivo deve ser experiente, pois precisará desenvolver habilidades e aptidões no profissional que o procura, tanto no campo profissional quanto no pessoal. Há cursos específicos de pós- graduação e especialização para os interessados em treinar novos talentos.

    • Mentor

    O processo chamado mentoring possibilita que o profissional compartilhe suas experiências e tire suas dúvidas com o tutorado. Além de ser apaixonado pela profissão, o Mentor deve saber dar feedbacks. É uma interessante área de atuação para agregar ainda mais valor à uma carreira.

    • Conselheiro

    Quem quer ser um conselheiro corporativo precisa ter bastante experiência na área. Atualmente, profissionais sêniores da área financeira e de infraestrutura têm muitas  vantagens em conseguir um cargo desse tipo.

  • Categorias: Carreira, Mercado, Profissional