0

Acha difícil negociar salário? Veja 7 dicas de experts para esse momento crucial de sua carreira

 

Trabalhamos por muitas razões – paixão pela nossa profissão, fazer a diferença em nossa comunidade e meio de nos sustentar. Sim, isso mesmo: Nós trabalhamos por dinheiro. É por isso que a discussão sobre o salário durante a procura de um emprego é um assunto delicado, mas importante. Queremos o trabalho, mas em última instância, queremos um bom salário.

Falar sobre dinheiro não é algo que acontece naturalmente – na verdade, é um daqueles assuntos que somos frequentemente ensinados a não tocar na maioria de nossas conversas. Saber quando abordar o tema e como negociar são habilidades importantes que exigem prática e preparação.

Aqui estão algumas estratégias de especialistas para ajudá-lo a obter o salário que você está procurando e que você merece.

1.Não fale de dinheiro muito cedo

A pergunta que todos nós queremos ver respondida: É ok falar sobre o salário durante a primeira entrevista?

A resposta, diz Randy Hood, executivo nacional na empresa HireRight, um fornecedor líder de soluções de elegibilidade de emprego e transição de carreira, é NÃO: O candidato não deveria tocar no tema salário durante a primeira entrevista. Se o entrevistador falar sobre isso, Hood sugere evitar a conversa. “Redirecione a entrevista para as suas realizações em vez de dinheiro. Você não quer que a empresa foque em suas necessidades antes que ela esteja convencida de que precisa de você”, diz ele.

2. A melhor maneira de responder a questão salarial

Embora não seja uma boa idéia falar sobre salários durante a primeira entrevista, chegará um ponto em que o tema pagamentos entrará na conversa. Ambas as partes querem saber se estão no mesmo patamar.

Hannah Morgan, estrategista de carreira na CareerSherpa.net, um blog de pesquisa e desenvolvimento de carreiras, diz que um candidato não deve falar de salário antes de compreender verdadeiramente a posição que poderá ocupar. “Se o trabalho exige horas extras, viagens ou competências muito específicas, estes fatores geralmente já pressupõe um salário mais elevado. Muitas vezes, esses detalhes não são revelados até o final do processo de entrevista.”

Morgan sugere que os candidatos adiem a questão se eles estão se sentindo pressionados a fornecer um valor de salário. “Meu conselho é tentar reafirmar: “Estou interessado em aprender mais sobre os requisitos completos do trabalho e do pacote de benefícios antes de discutir minhas exigências salariais.” Se a empresa ainda insiste, o candidato deve perguntar: ‘O que você tem orçamentado para a posição? “Normalmente, a empresa sabe a resposta e isso proporciona algum quadro de referência.”

3. Descobrindo o orçamento da empresa

Muitas empresas têm uma faixa salarial desejada para os cargos, e a maioria está disposta a compartilhá-lo durante o processo de candidatura. Tom Sykes, diretor de gerenciamento de produtos da Peoplefluent, fornecedora de software de gestão de talentos, compartilha a importância de ser honesto quando se trata de responder a perguntas sobre o salário. “Você não quer para si um salário ou nível de responsabilidades que você não está pronto para assumir”, diz Sykes.

Ele acrescenta: “Também é bom levar em conta o cargo do trabalho específico que você está sendo entrevistado. Palavras como ‘associado’, ‘sênior’ e ‘diretor’ podem ser indicadores úteis do nível de remuneração associada ao trabalho, e muitos recursos on-line estão disponíveis para pesquisar a remuneração de cargos específicos em regiões específicas.”

4. Respondendo a uma oferta de salário baixo

Os candidatos devem sempre estar preparados para lidar com uma oferta de salário inicial baixo. Não deve fazer a suposição de que uma baixa oferta significa que a empresa está tentando não pagar salários justos; é possível que eles só precisam ser lembrados do valor que você traz para a organização.

Hood oferece alguns conselhos sobre como usar o seu salário anterior nas negociações: “Não coloque suas remunerações passadas como sua estratégia de negociação, se o seu histórico de salário não é o reflexo do novo salário que você está tentando obter”, diz ele. “Em vez disso, mire sua negociação com base no que você pode fazer para o empregador e no valor de suas habilidades. Discuta suas exigências salariais mostrando como elas se relacionam com a sua capacidade de superar e exceder as expectativas.”

5. Ítens adicionais de remuneração para negociar

Antes de tomar uma decisão final sobre o trabalho, os candidatos devem considerar que existem outros fatores de compensação que podem ser negociados. Morgan recomenda focar na compensação em dinheiro em primeiro lugar, e em seguida, negociar outros itens de valor, um por um.

Morgan também mostra estratégias de negociação secretas: “Se você não precisa de plano de saúde, não divulgue isso até que as negociações aconteçam. Por não utilizar os benefícios de seguro da empresa, a empresa está economizando milhares de reais por ano. O candidato pode tentar recuperar uma parte desta quantia,” diz ela. “Outro segredo está em uma negociação baseada em avaliação de desempenho. Ao fazer isso, o candidato não precisará esperar uma virada de ano para ter um aumento tradicional no salário.”

6. Benefícios além do salário

Ter um bom salário é importante, mas como diz o velho clichê: “Dinheiro não é tudo”. Experiência deve influenciar na decisão. Sykes diz que há uma variedade de incentivos não monetários que as empresas podem oferecer. “Algo a se entender são os tipos de serviços de formação e de desenvolvimento de carreira que a empresa oferece. Apesar de não representar qualquer rendimento a curto prazo, o potencial de progressão na carreira pode vir a ser uma recompensa financeira ainda melhor, quando considerados em médio e longo prazo.”

7. Recusando uma oferta de emprego

Uma vez que você tem uma noção completa do trabalho, do salário e do futuro potencial, você pode tomar uma decisão informada – só porque você tem uma oferta de emprego não significa que você tem que aceitá-la. Morgan compartilha o que ele acredita que um candidato deve dizer quando educadamente recusar uma oferta: “Com base na função, oportunidades de carreira e salário, isso não é o mais adequado para mim neste momento, mas muito obrigado pela oferta e gostaria muito de manter a porta aberta caso uma vaga mais sênior abria em um futuro próximo. ”

No final, tudo se resume a paciência quando se trata de falar sobre o salário. Esperar o momento certo e focar nos valores certos pode levar o candidato ao sucesso do processo de negociação, muitas vezes intimidante.

Artigo originalmente publicado no site Mashable em 21 de Março de 2014. Tradução/adaptação livres.

 

  • Quer outras dicas de como negociar melhor seu salário ou conquistar uma melhor posição no mercado? Um trabalho de Recolocação Profissional pode lhe ajudar. Clique na imagem abaixo e entenda como funciona um programa de Recolocação Profissional:

 

Be Sociable, Share!